Bruno diz que Bola não matou Eliza e faz apelo a Macarrão: ‘Conte a verdade’

29

Goleiro cumpre pena em regime domiciliar em Varginha, Minas Gerais

Por O Dia

Minas Gerais – O goleiro Bruno Fernandes voltou a negar seu envolvimento com a morte Eliza Samudio e afirmou que o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, não matou a modelo. Em entrevista ao jornal “O Tempo”, ele disse que não conhecia Bola e que o ex-policial teria sido envolvido no crime por conta de uma desavença com o delegado do caso, Edson Moreira.

“Até que me provem o contrário, para mim, o Bola é inocente. Nesse caso, ele é. Quero avaliar a prova que liga o Bola a esse assunto. Não tem. Foi muito mais naquela época lá, que tinha que condenar, quando o Macarrão falou no júri que o ‘Bruno agora é o mandante, agora fecha. O Bola é o executor’.

Publicidade

Tá, ele é o executor, prova isso. Prova também que eu sou o mandante”, afirmou. O ex-policial foi condenado a 22 anos de prisão por homicídio duplamente qualificado (por asfixia e recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver.Eliza Samudio desapareceu em 2010 e dez anos após o crime, as autoridades ainda não têm informações sobre a localização de seus restos mortais.

Bruno foi condenado a 20 anos e nove meses de prisão como mandante do crime. Atualmente, ele cumpre pena em regime domiciliar, em Varginha, no sul de Minas Gerais.