Ministros sugerem a Bolsonaro adiamento de protestos do dia 15

4

Presidente está sendo aconselhado a fazer um gesto de “estadista” e dizer que a “saúde do povo brasileiro tem de vir antes de brigas políticas menores”

por Agência Estado

O derretimento global da economia e a escalada do surto de coronavírus no mundo estão sendo usados por ministros para aconselhar o presidente Jair Bolsonaro a fazer um pronunciamento em rede nacional sugerindo o adiamento das manifestações marcadas para o dia 15 de março. A informação foi antecipada pelo site BR Político, do Grupo Estado.

Líderes de movimentos que estão convocando os protestos contra o Congresso, no entanto, dizem que não veem motivo para adiamento. Eles argumentam que outras atividades com aglomeração de pessoas, como shows e jogos de futebol, não foram canceladas.

Bolsonaro está sendo aconselhado a fazer um gesto de “estadista” e dizer que a “saúde do povo brasileiro tem de vir antes de brigas políticas menores”.

Juntamente com isso, o presidente enalteceria a manutenção do seu veto aos dispositivos da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) que transferiam para o Congresso R$ 30 bilhões. O Congresso decidiu manter os vetos presidenciais a trechos da LDO na semana passada.

Continua Após a Publicidade

‘Apoio às reformas’

Após ser questionado se o governo vai trabalhar para dissuadir atos contra o Congresso e o Judiciário, o presidente em exercício, Hamilton Mourão, disse nesta segunda, 9, que as manifestações têm como pauta “apoio às reformas”.

“A manifestação está colocada aí como apoio às reformas. Acho que sobre a questão com o Congresso, temos que aprofundar o diálogo, trabalho que está sendo feito pelo ministro (Luiz Eduardo) Ramos para que a gente consiga avançar naquilo que precisa avançar”, afirmou Mourão.

O presidente em exercício disse ainda que não vai aos protestos, mas que “não vê problema” nos atos. “Manifestação faz parte da vida democrática. Desde que ordeira, pacífica, não vejo problema.” No sábado, 7, o presidente Jair Bolsonaro havia convocado a população para participar dos protestos.