“Patrão” de PRFs presos está na lista dos mais procurados do País

40

Ex-PM Fábio Costa, o “Pingo”, foi incluído na lista de Sérgio Moro em janeiro; outro chefão foragido é Carlos Gouveia, o “Kandu”

Por Campo Grande News – Helio de Freitas, de Dourados

Os cinco policiais rodoviários federais presos hoje (5) em duas operações da Polícia Federal, um deles também pastor evangélico, são acusados de trabalhar para as mais bem estruturadas quadrilhas de contrabando de cigarro instaladas na Linha Internacional entre a região sul de Mato Grosso do Sul e o Paraguai. Investigações em andamento desde 2011 apontam que apesar de gigantescas e com tentáculos nas maiores cidades do país, as organizações criminosas têm apenas quatro chefes, chamados de “patrões”.

Continua Depois da Publicidade

Dois estão presos desde 2018 e recentemente foram condenados a penas somadas que ultrapassam os 50 anos de cadeia: Ângelo Guimarães Ballerini, o “Alemão”, e Valdenir Pereira dos Santos, o “Perna”.

Os outros dois “patrões” do esquema que há anos corrompe policiais rodoviários federais e PMs de Mato Grosso do Sul para facilitar a passagem dos caminhões de cigarro estão foragidos da Justiça brasileira: o ex-policial militar Fábio Costa, conhecido como “Pingo” e “Japonês”, e Carlos Alexandre Gouveia, o “Kandu”.

Assim como Fábio Costa, Kandu é baseado em Salto del Guairá, cidade paraguaia perto de Mundo Novo (MS), mas também frequentador assíduo das praças de alimentação dos principais shoppings de importados de Pedro Juan Caballero, vizinha de Ponta Porã (MS).

Já Fábio Costa está no anonimato desde julho de 2018, quando o filho dele, de 17 anos, foi morto a tiros de fuzil em um condomínio fechado em Salto del Guairá. João Victor Richena Costa estava morando com o pai. A polícia paraguaia ligou à morte à guerra da máfia do cigarro.

Continua Depois da Publicidade

Na lista de Moro – Em janeiro deste ano, Fábio Costa foi incluído na lista dos 26 bandidos mais procurados do Brasil, divulgada pelo ministro da Justiça Sérgio Moro. O ex-PM é apontado na lista como suspeito de corromper agentes públicos para assegurar a passagem de cargas de cigarro contrabandeado.

“Foi preso em 2011 pela Polícia Federal na Operação Marco 334, deflagrada para desarticular uma quadrilha de contrabandistas de cigarro”, diz o perfil feito pelo órgão federal. Segundo o Ministério da Justiça, “Pingo” também é suspeito de participação no atentado à casa de um inspetor da PRF em Dourados, em 2017, após apreensão de carga de cigarro avaliada em R$ 14 milhões.

Continua Depois da Publicidade

PRF pastor – O Campo Grande News apurou que entre cinco policiais rodoviários federais presos hoje nas operações Managers e Cem por Cento, desencadeadas pela Polícia Federal em nove cidades sul-mato-grossenses e em Umuarama (PR), está um PRF de Nova Alvorada do Sul que também se dedica a pregar a palavra de Deus. Ele é pastor evangélico nas horas vagas. O nome não foi revelado.

Quem também foi preso nesta quinta-feira é o PRF Moacir Ribeiro da Silva Netto. Ele tinha sido preso na Operação Trunk em 2019 e ganhou liberdade recentemente. Netto é lotado no posto da PRF em Nova Alvorada do Sul, mas mora em Dourados, onde foi preso.

Dos cinco policiais rodoviários presos, dois se aposentaram recentemente, segundo apurou a reportagem. Eles foram identificados apenas por Moreno e Ademilson. Um sexto PRF, lotado em Naviraí, foi afastado preventivamente por suspeita de ligação com a máfia do cigarro. Nenhum nome foi divulgado pela Polícia Federal.