Paulo Guedes diz que coronavírus não pode ‘desorganizar’ a economia=VEJA O VÍDEO

7
Poder em Foco com Fernando Rodrigues em parceria editorial do Poder 360 com o SBT, entrevista ministro do STF, Gilmar Mendes | Sérgio Lima/Poder360 14.jan.2020

Gravou vídeo no Rio de Janeiro Está em isolamento social Desemprego pode piorar crise

PODER360- HAMILTON FERRARI

O ministro Paulo Guedes (Economia) disse nesta 6ª feira (27.mar.2020) que a crise de covid-19 não pode “desorganizar” a economia brasileira. Ele gravou 1 vídeo –posteriormente apagado– em casa, no Rio de Janeiro, onde está em isolamento. O chefe da equipe econômica do governo tem 70 anos e está no grupo de maior risco para contrair a doença.

De acordo com ele, o governo precisa cuidar da saúde da população brasileira, mas é preciso minimizar os impactos da pandemia na produção econômica. O ministro citou que as medidas que estão sendo adotadas pelo ministério vão injetar R$ 700 bilhões na economia em 3 meses.

Continuar Lendo Depois da Publicidade

“Se não nos lembramos de que temos que continuar resistindo com a nossa produção econômica também, vamos ter aquele fenômeno onde todo mundo está com os recursos, mas as prateleiras estão vazias porque deixamos a organização da economia brasileira entrar em colapso“, disse Guedes.

Assista abaixo (5min52s):

O ministro defendeu o posicionamento que o presidente Jair Bolsonaro adotou em pronunciamento oficial na 3ª feira (24.mar), de que é preciso implementar medidas menos duras de isolamento social. Bolsonaro disse que só o grupo de risco, como idosos e pessoas que já enfrentem outras doenças, deve permanecer em casa.

“Ele está nos alertando que precisamos impedir a desorganização da economia brasileira, precisamos impedir uma crise de abastecimento no Brasil”, declarou.

CRISE EM ONDAS

Continuar Lendo Depois da Publicidade

O ministro afirmou que a crise vem em duas ondas: a 1ª na saúde pública e a 2ª na economia. Ele disse que é necessário preocupação com o fechamento de postos de trabalho, que pode ampliar a crise.

“A 2ª [onda] vem na esteira da 1ª, pode ser uma enorme onda, dependendo de nossa reação, ameaça nossos empregos e uma crise econômica como nunca sofremos antes”, disse. “Sim, vamos cuidar da nossa saúde, mas não podemos esquecer que ali a frente temos o desafio de continuar produzindo, temos que alimentar os nossos doentes, temos que alimentar a população, as crianças“, completou.

A metáfora das ondas usada por Guedes é ilustrada por 1 cartum que tem sido distribuído pelo ministro por meio do WhatsApp. A obra retrata uma cidade prestes a ser atingida por uma tsunami rotulada de “covid-19”, enquanto uma onda maior ainda surge por trás. Esta 2ª é chamada de “recessão”.