60% querem adiar eleições municipais para novembro ou dezembro

5
Urnas eletrônicas sendo preparadas para serem enviadas as embaixadas do Brasil no exterior. Brasilia, 19-09-2018. Foto: Sérgio Lima/Poder 360

24% preferem pleito em outubro 12% defendem estender mandatos Leia a pesquisa DataPoder360

Pesquisa DataPoder360 indica que 60% dos brasileiros são favoráveis ao adiamento das eleições municipais de outubro para novembro ou dezembro por causa da pandemia de coronavírus. Outros 24% querem que a data seja mantida.

Há também 12% que dizem apoiar a extensão dos mandatos atuais de prefeitos e de vereadores, cancelando assim o pleito de 2020.

O 1º turno das eleições municipais está marcado para 4 de outubro. O 2º turno, em 25 de outubro.

A pesquisa foi realizada de 11 a 13 de maio pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 512 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Leia o relatório completo dos resultados no Brasil (2 MB).

A decisão sobre adiar (ou não) as eleições de outubro deve ser tomada até junho, de acordo com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso. O ministro foi eleito presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Assume o cargo em 26 de maio e conduzirá o processo eleitoral de 2020.

Barroso já se manifestou assim sobre o tema: “Por minha vontade, nada seria modificado porque as eleições são 1 rito vital para a democracia. Portanto, o ideal seria nós podermos realizar as eleições. Porém, há 1 risco real, e, a esta altura, indisfarçável, de que se possa vir a ter que adiá-las”.

Como se observa no infográfico acima, há mais apoio de mulheres (64%) ao adiamento das eleições do que entre homens (54%).

Quando se trata de divisão por renda, o grupo que é mais contrário a mudar a data do pleito de outubro é o dos mais ricos: 42% querem a disputa eleitoral na data em que está marcada.

No caso de regiões do país, quem mais deseja o adiamento são os entrevistados da região Centro-Oeste (64%). O Sudeste tem a menor taxa de apoio (57%).

EMENDA À CONSTITUIÇÃO

Como a data do pleito –1º domingo de outubro– é determinada pela Constituição Federal, qualquer alteração precisa ser feita pelo Congresso Nacional, por meio de uma PEC (proposta de emenda à Constituição).

O ideal é que a decisão seja tomada em junho porque é nesse mês que serão realizados os testes nas urnas eletrônicas –algo que se repete a cada ano eleitoral.