Doria coloca a cúpula da Polícia Militar de SP em treinamento por causa de abuso nas ruas

3

Felipe Resk– estadão

Em meio à recorde de letalidade e denúncias de violência policial, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta segunda-feira, dia 22, que a cúpula da Polícia Militar terá de passar por novo treinamento a partir de julho. Segundo o governador, o programa vai se chamar Retreinar, e inicialmente vai mirar as altas patentes da corporação – e não os policiais que estão na ponta e fazem atendimento nas ruas.

A orientação foi dada diretamente ao secretáro da Segurança Pública, o general João Camilo Pires de Campos, que se recupera em casa após contrair covid-19, segundo Doria.

“Serão coronéis, tenenente-coronéis, majores, capitães, tenentes, sargentos, iniciando no comando do Quartel General, que fica no bairro da Luz, no centro”, disse. “O retreinamento de todo o comando das nossas tropas é para evitar em 1% de maus policiais, que insistem em utilizar violência desnecessária, possa compreender que isso não é aceitável”, afirmou Doria. Ainda segundo o governador, agentes envolvidos em casos de violência serã “punidos e afastados em definitivo da corporação”.

Recentemente, o Estadão mostrou que o número de pessoas mortas em supostos confrontos com a PM atingiu patamar recorde em abril, mesmo com a quarentena decretada para conter o avanço do novo coronavírus. Foram 116 casos registrados no mês, o que representa um aumento de 56%.

Em contrapartida, todos os indicadores de produtividade caíram no período. Na prática, isso significa que as polícias de São Paulo prenderam menos pessoas, tiraram menos armas ilegais das ruas e até registraram queda no número de ações contra o tráfico.