Flávio Bolsonaro será intimado a depor sobre vazamento do caso Queiroz

8
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (24) que há "99% de chance" de o Grande Prêmio de Fórmula 1 do Brasil ser sediado no Rio de Janeiro a partir de 2021. Bolsonaro deu a declaração em uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto após ter se reunido com o governador do Rio, Wilson Witzel, e com o executivo da Fórmula 1, Chase Carey.Foto: Sérgio Lima/PODER 360

PF teria segurado operação por Bolsonaro – Afirmação é de Paulo Marinho

PODER360

O MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) pediu a intimação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para depor nas investigações que apuram suposto vazamento de operações da Polícia Federal sobre o relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) que cita movimentações financeiras atípicas atribuídas a Fabrício Queiroz.

Como dispõe de foro privilegiado, o congressista tem 1 mês para marcar o depoimento a partir da data de recebimento do documento.

A investigação foi aberta depois que Paulo Marinho, suplente do senador, afirmou que Flávio Bolsonaro foi avisado pela Polícia Federal que a Operação Furna da Onça seria deflagrada em 2018. Os policiais também teriam “segurado a operação” para que ela não fosse realizada antes do 2º turno das eleições de 2018 e atrapalhasse a candidatura de Jair Bolsonaro à Presidência da República.

A operação investiga o desvio de dinheiro e suposto esquema de “rachadinha” na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), entendido como a prática de coagir funcionários a repassar parte de seus salários. As investigações apontam que Fabrício Queiroz era o operador financeiro do esquema e que o dinheiro era lavado por meio de operações imobiliárias, empreendimentos comerciais e até mesmo por meio do pagamento de despesas pessoais da família de Flávio Bolsonaro.

Queiroz foi preso na 5ª feira pela Polícia Federal em Atibaia (SP). Está encarcerado no Rio de Janeiro.

Os advogados Christiano Fragoso e Ralph Vianna também serão ouvidos. Segundo Marinho, Fragoso esteve na reunião em que Flávio teve conhecimento da operação. Ralph Vianna foi indicado para atender Queiroz.