Promotor de Justiça explica tudo sobre as eleições deste ano (Veja a entrevista)

139

FOTO/REPRODUÇÃO

As eleições municipais deste ano tem sido um grande ponto de interrogação para as possíveis candidaturas, seja ela para prefeito (majoritária) ou para vereadores (proporcional), por ser um ano atípico devido as consequências da pandemia da covid-19. Uma das principais mudanças é a alteração da data do dia das eleições, no nosso caso em Três Lagoas será realizada no dia 15 de novembro, pois só temos o primeiro turno.

A filiação partidária que é requisito indispensável para a candidatura dos interessados em concorrer às eleições encerrou no dia 4 de abril deste ano, portanto, se nada mudar, somente quem está filiado pode participar do pleito eleitoral na condição de candidato ou candidata a uma das 17 vagas no legislativo municipal.

Para entender mais sobre este tema que desperta diversas dúvidas, as equipes de jornalismo dos sites “Web Favorita.com” e “Três Lagoas no Ar” agendaram entrevista com o Promotor de Justiça Moisés Casarotto, que não é responsável pela área eleitoral no município mas atua na função de coordenador estadual nas eleições deste ano e é considerado por membros do poder judiciário como o “Professor” devido sua vasta experiência no tema.

O Repórter Adilson Cardoso foi recebido no gabinete do Promotor nesta segunda-feira (27), para uma agradável e explicativa reportagem, onde Dr. Moisés, com toda didática que somente os grandes mestres possuem, detalhou informações que tanto preocupam e deixam incertezas nos pré-candidatos.
A primeira pergunta fala sobre o que é PERMITIDO e PROIBIDO para pré-candidatos(a) a vereador(a).

O Promotor relata que entre 31 de agosto a 16 de setembro está reservado para a realização das convenções partidárias para a escolha de candidatos e deliberações sobre coligações e, explica a legislação sobre a quantidade de candidatos(a) a serem lançados para a apreciação da população, cota obrigatória de mulheres e uso do nome social? Também falou sobre propaganda nos meios tradicionais e nas redes sociais.

Dr. Moisés fala sobre gastos de campanha, formas corretas de comprovação dos gastos e destaca possíveis penalidades. “Antes de se lançar na vida pública em uma campanha, estude antes o que pode ou não pode, não seja aventureiro, pois se tem dúvida não faça, para não se arrepender depois”, finalizou a entrevista/aula o promotor de Justiça Moisés Casarotto.