Selvíria e o Agosto Lilás: campanha que reforça a importância de denunciar a violência contra a mulher

3

Foto: divulgação

O “Agosto Lilás”, campanha que é realizada este mês em todo o país, tem o objetivo de alertar e conscientizar a população sobre os tipos de violência contra a mulher. E a Prefeitura de Selvíria, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social e do CREAS (Centro de Referência de Assistência Social), realizará uma série de ações no período.

Em função da pandemia de Coronavírus (COVID-19), que proíbe aglomerações, as ações serão feitas quase que exclusivamente através das redes sociais. A expectativa é divulgar, ao longo do mês, informações sobre os tipos de violência cometidos contra a mulher e como ela pode buscar ajuda. “Mesmo não podendo realizar palestras e outros tipos de encontros presenciais nesse período, vamos fazer chegar até às mulheres informações sobre o assunto, seja através de postagens nas redes sociais, publicação de vídeos e distribuição de panfletos informativos”, explicou Josiany Aparecida Gomes, coordenadora do CREAS.

A campanha começa esta semana e se estenderá ao longo do mês de agosto, buscando a sensibilização, o diálogo e a informação da população acerca dos direitos da mulher em situação de violência e alertar a sociedade para este problema grave.

Também serão reforçados os canais de como a mulher pode buscar ajuda, como os Disques 100 e 180, o fone/whats (67) 3579-1226 (CREAS), o (67) 3579-1330 (Secretaria de Assistência Social) e o fone/whats (067) 3579-1166 (Delegacia de Polícia).

A Campanha

Desde o ano de 2016, quando a Lei Maria da Penha completava 10 anos de existência, o mês de agosto foi escolhido para receber a campanha Agosto Lilás. A campanha visa levar informações e sensibilizar toda a sociedade sobre a Lei Maria da Penha e as formas de combate à violência contra a mulher.

A violência doméstica e familiar contra a mulher passou a ser considerada crime a partir da aprovação da lei n. 11.340, em 7 de agosto de 2006, que ficou conhecida como lei Maria da Penha. Essa lei cria mecanismos para coibir e prevenir a agressão ambientada na convivência familiar e se tornou um instrumento de transformação social ao longo dos seus 14 anos de existência.

Por: Assessoria de Comunicação